banner
Os sentidos do Cão
Encontro com a bióloga Sandra Soares

Este Encontro com o Cientista foi especial, a bióloga Sandra Soares trouxe o seu fiel companheiro Simbad, um cão de busca e salvamento.

Para testar os conhecimentos dos alunos da Escola Ciência Viva sobre esta espécie, começou por pedir-lhes que escolhessem ossos de plástico cujo interior escondia perguntas.





  • Em que atividades os cães nos podem ajudar?

  • Os cães de busca e salvamento, como o Simbad, conseguem encontrar pessoas desaparecidas, graças ao seu olfato apurado. Existem também cães guias, que acompanham pessoas cegas e funcionam como os olhos de quem não consegue ver.
    Há raças de cães pastores, que acompanham os rebanhos nas pastagem e protegem-nos de outros animais. Existem também cães polícia que geralmente são raças de cães muito atléticos como o Pastor Belga ou Pastor alemão, que ajudam os polícias na deteção de drogas, contrafação, dinheiro falso e até espécies em extinção que estejam a ser comercializadas.

  • Quantas raças de portuguesas conhecem ?


  • Podengo Português - cão de caça ao coelho, não tem medo de água e por isso o nome podengo;
    Cão de água português - usado na caça na água, e pesca, até tem uma membrana interdigital;
    Rafeiro alentejano – cão de gado de porte grande;
    Cão de fila de São Miguel - cão de caça;
    Perdigueiro português - cão de parar para indicar ao caçador a direção da caça;
    Perdigueiro – cão de caça à perdiz;
    Cão de Castro Laboreiro- cão boiadeiro;
    Cão da Serra de Aires - cão de rebanho;
    Barbado da Terceira - tem muito pelo e é da ilha Terceira dos Açores;
    Cão de Gado Transmontano - cão pastor de vacas;
    Cão Serra da Estrela – tem muito pelo para isolar do frio;
    Cão do Barrocal Algarvio - raça portuguesa mais recentemente reconhecida.

  • Como surgiu o cão?

  • Os cães são 99,8% semelhantes aos lobos, até no comportamento.
    Quando o Homem era nómada, para descansar fazia fogueiras, os lobos aproximavam-se para aproveitar o calor. Mas os lobos que se aproximavam não eram agressivos, nem medrosos, e por isso o Homem deixou que estivessem próximos, e percebeu que os podia ter como animal de companhia. Começaram por se fazer acompanhar de crias de lobo mais dóceis e que eram úteis quer para proteção quer para a caça. E assim começou a domesticação, escolhendo os cães pelas características que queriam...


  • Que cuidados devemos ter com os cães

  • Os alunos ficaram ainda a saber que cuidados devem ter com este animal de companhia, como dar de comer, levar ao veterinário e passear (com coleira e trela ou açaime e apanhando sempre os dejetos do chão), dar banho, escovar e, claro, brincar!


    Aprendi com um cientista que ...

    Que os cães percebem o mundo de uma maneira diferente da nossa, apesar de verem as cores, os cães são “um bocadinho daltónicos”, mas conseguem ouvir sons (ultra-sons) que o ouvido humano não consegue captar.
    No interior dos seus focinhos existe uma espécie de labirinto ósseo que faz com que o ar que farejam permaneça mais tempo. A zona de absorção de odores do nariz de um cão é do tamanho de um postal, nos humanos é do tamanho de uma moeda de 2€. Sendo por isso o olfato um dos seus sentidos mais apurados.



    Como imagino...


    Escola Ciência Viva - Pavilhão do Conhecimento
    EB Fernanda de Castro e EB Frei Luís de Sousa
    9 de janeiro de 2020


    Voltar