banner
Jardim Botânico
Encontro com a botânica Raquel Barata


Numa visita ao Jardim Botânico da Universidade de Lisboa, os alunos da Escola Ciência Viva, marcaram encontro com a botânica Raquel Barata.

Munidos d’um mapa e folhas de registo, os pequenos cientistas exploraram o Jardim Botânico e descobriram uma grande diversidade de organismos vegetais.

    Durante a sua exploração ficaram a conhecer melhor diversas plantas e árvores, tais como:

  • Dragoeiro, planta adaptada a climas quentes e secos (desertos), que tem a capacidade de armazenar água no interior;

  • Figueira da Índia, também conhecida como piteira, planta (cato) adaptada a regiões áridas. Como o fruto é parecido com um figo, o seu nome comum é Figueira da Índia, mas não é uma figueira, nem é originária da Índia. Os caules são grossos e guardam água, as folhas encontram-se modificadas em forma de espinho, desta forma quando as plantas transpiram, devido ao calor, não perdem tanta água;

  • Coco de cachorro (Jerivá), espécie de palmeira, com um tronco grande e folhas no topo, que está adaptada aos ventos das zonas tropicais;

  • Cedro dos Himalaias, árvore adaptada às regiões montanhosas, com folhas pequenas em forma de agulha e persistentes. É do grupo dos pinheiros, mas a folha é mais curta. As folhas pequenas permitem que a neve não se acumule nas folhas, causando peso na árvore. A copa também é virada para baixo para não se partir com o peso da neve.

  • Costela de Adão, planta de zonas tropicais. As folhas têm uns orifícios grandes para deixar passar a luz e para a água não ficar acumulada.


Com esta atividade procurou-se levar os alunos a compreender que também as plantas têm adaptações que lhes permitem estar melhor ajustadas aos locais onde vivem.




Escola Ciência Viva - Jardim Botânico
EB Pintor Almada Negreiros e EB Prista Monteiro
26 de outubro de 2018


Voltar