banner
Bioquímica
Encontro com a Bioquímica Diana Freire

A investigadora Diana Freire, bioquímica, que se encontra atualmente a colaborar com a Ciência Viva, participou nesta sessão do “Encontro com o Cientista” e veio falar com os alunos da Escola Ciência Viva sobre bactérias.


A investigadora disse que desde criança sempre foi muito curiosa, por isso quando foi para a faculdade escolheu o curso de química e depois especializou-se em bioquímica. No seu percurso foi encontrando várias pessoas que a inspiraram e incentivaram a seguir a carreira de cientista, tendo feito o seu doutoramento em Hamburgo.

Também referiu que um cientista passa muitas horas no laboratório, dado que é necessário realizar diversas experiências que implicam muita atenção e cuidado. Contudo, também é fundamental trabalhar em equipa, ir a conferências e publicar artigos, de modo a que outras pessoas tenham acesso às descobertas realizadas. Ainda que o trabalho de investigação possa ser moroso, disse que algumas situações podem ser divertidas, nomeadamente, quando conseguem tirar fotografias de algumas experiências, sobretudo as que têm um resultado bonito e colorido.

Posteriormente, a investigadora convidada falou com os alunos sobre a importância de lavar as mãos, pois é essencial eliminar micróbios (bactérias, fungos e vírus) que possam estar na pele e causar infeções no organismo. Disse que existem bactérias más, que são agentes patogénicos e que podem causar doenças como a pneumonia, tuberculose, cólera ou meningite, mas que também possuímos bactérias boas, como é o caso das que vivem no nosso intestino, responsáveis pela manutenção da nossa flora intestinal.

Posto isto, os pequenos cientistas observaram ao microscópio bactérias de iogurte e, em caixas de petri, bactérias que existem na pele humana.




A investigadora explicou que as bactérias podem entrar no nosso corpo através do nariz, boca e feridas na pele. Quando invadem o nosso corpo e se conseguem multiplicar, podem causar infeções. Mas, o sistema imunitário, que garante a defesa do nosso organismo, vai desencadear uma reação adversa, através dos seus anticorpos. Em casos mais graves o sistema imunitário pode necessitar de ajuda, sendo necessário recorrer a antibióticos, que atuam apenas contra infeções bacterianas. Para finalizar a sessão, a Diana disse que no seu trabalho de doutoramento investigou sobre a bactéria que causa a Tuberculose (Mycobacterium tuberculosis) e formas de a conseguir destruir. Talvez no futuro surja no mercado um medicamento para tratar esta doença, que tenha beneficiado do trabalho da nossa bioquímica.






Escola Ciência Viva - Pavilhão do Conhecimento
EB S. João de Deus e EB Rosa Lobato Faria
17 de maio de 2019


Voltar