banner
Estudar as borboletas
Encontro com a engenheira florestal Adriana Galveias


A investigadora Adriana Galveias, engenheira florestal, que se encontra atualmente a colaborar com a Ciência Viva, veio falar aos alunos da Escola Ciência Viva sobre borboletas.

As borboletas fazem parte do grupo dos insetos. Mas, como sabemos o que é um inseto?
A resposta não é assim tão simples, pois para ser um inseto tem de ter o corpo dividido em 3 partes (cabeça, tórax, abdómen), 3 pares de patas e, na maior parte dos casos (e para todas as borboletas) apresentam dois pares de asas, sendo que também existem insetos só com um par ou mesmo sem asas durante toda a sua vida.

O ciclo de vida das borboletas tem quatro fases distintas: começa nos ovos, de onde nascem as lagartas, que podem ter várias mudas com cores diferentes e até podem parecer catos, que depois formam um casulo ou uma crisálida, da qual nasce a borboleta e que pode viver cerca de 15 dias. Muito raramente ultrapassam um mês de vida, sendo o seu objetivo a reprodução para assim poderem fechar o ciclo. Durante o seu crescimento, ela muda várias vezes de pele para dar lugar a uma nova, mais elástica, no interior da qual pode crescer. As lagartas em geral são muito ativas e necessitam de alimento e oxigénio, mas não têm pulmões como os mamíferos.

Na primavera/verão, quando as temperaturas são mais favoráveis, as lagartas eclodem dos ovos e as borboletas ficam entre 1 semana a 15 dias dentro da crisálida. No inverno, as borboletas ou fazem migrações para sítios mais quentes onde colocam os ovos, ou ficam no estado de crisálida à espera de tempo mais quente durante alguns meses.

Existem borboletas diurnas e noturnas que se distinguem principalmente pelas antenas, mas também porque as borboletas noturnas fazem casulos e as diurnas fazem crisálidas. Muitas borboletas têm dimorfismo sexual, geralmente os machos são mais coloridos e têm antenas maiores para conseguirem localizar e atrair as fêmeas.

Ainda houve tempo para observar alguns aspetos das borboletas com maior pormenor e colocar algumas questões à investigadora.

Como observam as borboletas?
Vamos ao campo com redes e quando se apanham as borboletas comparam-se com os guias de campo.

Porque é que as borboletas são importantes?
Porque fazem parte do ecossistema e contribuem para o equilíbrio do planeta, nomeadamente quando ajudam as plantas na polinização, transportando o pólen de flor em flor ou quando servem de alimento para outros animais, quer as lagartas, quer as borboletas.




Escola Ciência Viva - Pavilhão do Conhecimento
EB Patrício Prazeres e EB das Laranjeiras
18 de janeiro de 2019


Voltar